Por mais dias em negrito

Dias em negrito, leia-se aqueles que valem a pena, colorem os dias, liberaram ocitocina ao invés de cortisol, causam sensação de borboletas no estômago e deixam gostinho de quero mais, em momentos vividos ou que estão por vir. Parece devaneio descrever sensações assim em tempos de afetos líquidos, porém não custa nada, afinal ser feliz é acima de tudo uma questão de desejar.

Os desafios das escolhas e decisões

Eleger algo é definir que tipo de vida queremos naquele momento.
Claro que há coisas que podem e são simultâneas, mas elas não nos dão angústia porque não exigem decisão. É a escolha que nos angustia que nos tira do centro, que nos faz repensar valores, prioridades, responsabilidades. Há todo um potencial contido em cada escolha.

A Tristeza Permitida

Ficar triste é comum, é um sentimento tão legítimo quanto a alegria, é um registro de nossa sensibilidade, que ora gargalha em grupo, ora busca o silêncio e a solidão. Estar triste não é estar deprimido. Tem dias que não estamos pra samba, pra rock, pra hip-hop, e nem pra isso devemos buscar pílulas mágicas para camuflar nossa introspecção.