Cinco livros de autores goianos

Os cinco livros listados neste post são de autores goianos nascidos do início a meados do último século. São eles: ‘Couto de Magalhães – O Último Desbravador do Império’, do médico e escritor Hélio Moreira. ‘A Friagem’, contos da goianiense Augusta Faro, leitura obrigatória nos principais vestibulares de universidades goianas. ‘Naqueles Morros, Depois da Chuva’, de Edival Lourenço, ganhou o 2º lugar no Prêmio Jabuti em 2012 ao narrar uma história que se passa em 1739 sobre a independência administrativa das minas de ouro do futuro Estado de Goiás. ‘Casa Entre Vértebras’, do escritor e psicanalista Wesley Peres, venceu o Prêmio Sesc de Literatura 2006. ‘A Hora dos Ruminantes’, do escritor José J. Veiga, teve sua primeira edição em 1994, sendo a mais recente de 2015.

Cinco livros sobre a estupidez da guerra

Nesta edição foram separados cinco livros que oferecem diferentes pontos de vista para os pormenores ocorridos durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). São eles: “Mestres da Batalha” (2014), de Terry Brighton; “A Segunda Guerra Mundial: História e Estratégias”, de Philippe Masson; “As Mulheres na Guerra: 1939 – 1945”, de Claude Quétel; “A Lista de Schindler”, de Thomas Keneally; e “Quem Escreverá nossa História? — Os arquivos Secretos do Gueto de Varsóvia”, de Samuel D. Kassow.

Livros para colorir o cérebro

Publico nesta edição uma seleção de cinco livros importantes para a literatura contemporânea. Primeiro da lista, ‘O Pintassilgo’, da escritora americana Donna Tartt (1963), levou o prêmio Pulitzer de 2014 e se tornou best-seller. Na sequência está o romance ‘Travessuras da Menina Má’, do peruano Mario Vargas Llosa (1936), Nobel de Literatura em 2010. “Sem Destino”, primeiro romance do escritor judeu húngaro Imre Kertész (1929), Nobel de Literatura de 2002, surpreende ao abordar com outro ponto de vista o Holocausto; enquanto ‘Madame Butterfly’, que traz uma das mais famosas óperas do italiano Giacomo Puccini.