Eu Vou Estar – Capital Inicial e Zélia Duncan

A história do Capital Inicial começou com a onda das bandas de rock de Brasília que tomou conta do país nos anos 80. Os irmãos Fê e Flavio Lemos faziam parte do grupo Aborto Elétrico, ao lado do mito Renato Russo. Dinho Ouro Preto tocava com Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá. Em 1982, o Aborto terminou, e as sementes do Capital e do Legião Urbana foram lançadas.

O primeiro foi formado por Fê (bateria) e Flavio Lemos (baixo), Dinho (vocal) e Loro Jones (guitarra). O álbum de estreia do grupo, ‘Capital Inicial’, de 1986, trouxe hits como ‘Música Urbana’, ‘Fátima’ e ‘Veraneio Vascaína’. As letras são bastante variadas: algumas são descontraídas,  outras são mais politizadas e algumas fazem mais o estilo romântico, como é o caso de ‘Eu Vou Estar’.

Tocavam nas ruas da Capital Federal. Mas, engana-se quem pensa que o nome da banda tem a ver com Brasília. Eles não tinham mesmo a grana para começar; não tinham o ‘capital inicial’. Daí, o nome.  Na época, já existiam canções que se tornariam hinos da chamada ‘Geração Coca-Cola’. O grupo andou sumido por um tempo, mas retornou com tudo no fim dos anos 90.

São dessa nova fase ‘O Mundo’, ‘Eu Vou Estar’, ‘Natasha’ e ‘Tudo o que Vai’ – além de uma versão de ‘Primeiros Erros’, de Kiko Zambianchi e com participação do próprio. Loro deixou o Capital em 2002 e em seu lugar entrou Yves Passarel. Em 2008, a banda lançou o CD e DVD ‘Capital Inicial Multishow Ao Vivo’, que traz faixas como ‘Fogo’ e ‘Algum Dia’.

Depois do reencontro, a banda não parou mais, trabalhou bastante,  fazendo muitos shows por mês, atingindo marcas inéditas de vendagem de discos, superando a soma das vendas de todos seus álbuns anteriores. Colocando assim o Capital Inicial como uma das maiores bandas do rock brasileiro, conquistando fãs da nova geração.

Eu vou Estar (Dinho – Alvin)
‘Para ‘Eu Vou Estar’ eu tinha um pedacinho da letra, apenas as frases ‘Eu não vou pro inferno/ Eu não iria tão longe por você’. O Dinho, então, pegou o violão e saiu cantando a música. Quando chegou no refrão, sugeri fazermos uma lista dos lugares onde uma pessoa pode se lembrar da outra. É aquela história da pessoa que se separou da outra mas que sempre se lembra dela. Uma outra sugestão foi fazer uma música que fosse lenta mas que quando chegasse no refrão animasse, como é o caso de Ruby Tuesday, dos Rolling Stones. E acabou dando certo, já que ela se tornou música de trabalho.’

Essa versão ‘Eu Vou Estar’ teve participação de Zélia Duncan nos vocais.

Deixe um comentário

Você pode usar estas tags HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>