Sem Vista para o Mar de Carol Rodrigues

Vencedora do Prêmio Jabuti com o livro Sem Vistas para o Mar, Carol Rodrigues procura uma maneira livre de escrever. Formada em cinema, somente há três anos a escrita entrou de vez em sua vida 

‘Sem Vistas para o Mar – Contos de Fuga’, primeiro livro da escritora Carol Rodrigues, ficou em primeiro lugar no Prêmio Jabuti e venceu também o prêmio da Biblioteca Nacional, tornando a jovem produtora de 30 anos em uma das revelações da Literatura brasileira em 2015. A publicação superou obras de escritores consagrados como o livro póstumo de João Ubaldo, Sérgio Sant’Anna e Chico Buarque.

O livro ‘Sem Vista para O Mar’ (Editora Edith, R$ 25, 124 páginas) é composto por 21 contos produzidos nos 13 dias do curso de escrita ‘Quebras’, com Marcelino Freire, no Centro Cultural B_arco, em 2014.  Trata-se de textos relativamente curtos, numa prosa que não pretende respeitar vírgulas e pontos e, que, em dados momentos, remete à poesia.

A própria autora se surpreendeu com as premiações, apesar de, para ter seu livro publicado, também ter passado por uma espécie de processo seletivo promovido pela oficina de Marcelino Freire e Jorge Filholini, onde ‘Sem Vistas para o Mar’ nasceu.  Em 2013 ela já havia ganhado o prêmio Sesc DF de Contos Machado de Assis com outros trabalhos.

Carol Rodrigues, que é carioca radicada em São Paulo, é formada em Cinema e somente há três anos decidiu encarar a escrita com mais seriedade. Mas desde o tempo escolar já mantinha contato próximo com as letras.

Em entrevistas concedidas a diversos jornais devido à premiação, Carol Rodrigues conta que começou a escrever usando somente a intuição, sem se prender à estruturação do enredo. Primeiramente se fixou à sonoridade das palavras e a partir de então começou a se arriscar na invenção de histórias.

Segundo ela, geralmente seus textos têm três finais para que seja escolhido o melhor, em seu julgamento pessoal. Muitos dos textos que produz nas três horas semanais dedicadas à escrita vão para uma pasta de possível aproveitamento e outros são completamente descartados pela autora.

Passada a euforia da premiação, que a trouxe o entusiasmo do reconhecimento, mas sem mudar sua rotina profissional, Carol tem preparado seu segundo trabalho. De acordo com a escritora, ‘Os Maus Modos’ será menos poético, mas manterá uma forma de escrever ‘estranha’, sem muita preocupação com pontuação e ritmo. Nele, o objetivo é explorar ações comuns do dia a dia que, aos olhos de terceiros, podem soar extravagantes. A previsão para o lançamento é o primeiro semestre de 2016.

‘Sem Vista para O Mar’
Editora Edith
R$ 25
124 páginas

Deixe um comentário

Você pode usar estas tags HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>