Cinco livros sobre a estupidez da guerra

Nesta edição foram separados cinco livros que oferecem diferentes pontos de vista para os pormenores ocorridos durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Encabeça a lista “Mestres da Batalha” (2014), de Terry Brighton. A obra se dedica a comparar os perfis dos três principais comandantes das forças terrestres da Inglaterra, Estados Unidos e Alemanha. Terry Brighton estudou política e filosofia e foi funcionário da curadoria do Museu Regimental dos Lanceiros Reais da Rainha, regimento descendente dos que combateram com distinção durante a guerra. “A Segunda Guerra Mundial: História e Estratégias”, de Philippe Masson, reúne a cronologia completa das batalhas e os acordos do conflito. Ganhou destaque a declaração de Masson, falecido em 2005, de que “em 3 de setembro (1943), Hitler mal dissimula seu desencanto. ‘Eu não quis essa guerra’.” O terceiro é “As Mulheres na Guerra: 1939 – 1945”, de Claude Quétel, baseia-se em uma iconografia rica e com pontos inéditos sobre a participação feminina na guerra. “A Lista de Schindler”, do irlandês Thomas Keneally, conta a história de um alemão que salvou centenas de judeus escondendo-os em sua fábrica. O livro garantiu ao autor a premiação “Booker Prize” em 1982 e depois de mais de uma década foi adaptado para o cinema, tendo recebido sete Oscars. Por fim, “Quem Escreverá nossa História? — Os arquivos Secretos do Gueto de Varsóvia”, de Samuel D. Kassow, reúne dados de uma pesquisa feita pelo professor de história Emanuel Ringelblum com o objetivo de documentar detalhes da vida dos judeus no Gueto de Varsóvia. Nos últimos dias do gueto esses documentos tiveram de ser guardados em latas e assim enterrados para não serem destruídos pelo nazismo.

Mestres da Batalha, de Terry Brighton

Mestres da Batalha“Mestres da Batalha”, de Terry Brighton lançado em 2014, faz uma comparação entre as personalidades dos três principais comandantes das forças terrestres da Inglaterra (Bernard Montgomery), Estados Unidos (George S. Patton) e Alemanha (Erwin Rommel), durante a Segunda Guerra Mundial. O enredo traz a relação nada amistosa entre os oficiais no desenrolar das grandes batalhas encabeçadas por seus países, como as invasões da Sicília e da Itália e os combates do norte da África. É a primeira vez que a literatura sobre a segunda grande guerra coloca os três lado a lado. Além da agilidade quanto aos assuntos de guerra, os três comandantes compartilhavam da mesma arrogância, superego e de outros defeitos de personalidade. Dentre as curiosidades escancaradas no livro está o ódio mútuo entre Montgomery e Patton, cujas nações eram aliadas no conflito. Editora Record, 462 páginas, R$ 60.

A Segunda Guerra Mundial: História e Estratégias, de Philippe Masson

A Segunda Guerra Mundial“A Segunda Guerra Mundial: História e Estratégias”, de Philippe Masson (1928 – 2005), lançado em 2010, compreende a cronologia completa das batalhas e acordos que resultaram e surgiram durante o segundo grande conflito mundial. Ao destacar características estratégicas, econômicas, logísticas e humanas da guerra o autor acaba por fazer uma análise aprofundada sobre o período, possibilitando diversas leituras sobre o assunto – que devido à abrangência do conflito, de ordem global, exigiu novos sistemas de armas e modificações táticas. A partir da leitura deste livro compreende-se a fundo os motivos que levaram a geopolítica global a nunca mais ser a mesma após a segunda grande guerra. Editora Contexto, 640 páginas, R$ 69.

As Mulheres na Guerra: 1939-1945, de Claude Quétel

As Mulheres na Guerra “As Mulheres na Guerra: 1939-1945”, de Claude Quétel, mostra a importância das mulheres para a Segunda Guerra Mundial. O livro, lançado em 2010, enfoca a participação das mulheres tanto em relação às questões domésticas como nas frentes de batalha, além do trabalho pesado nas fábricas de armamentos e demais itens bélicos importantes para o conflito. O livro baseia-se em uma iconografia rica e com alguns pontos inéditos sobre a participação feminina no conflito que marcou o século 20. Editora Larousse, 248 páginas, R$ 38.

A Lista de Schindler, de Thomas Keneally

A Lista de Schindler“A Lista de Schindler”, de Thomas Keneally, relata a história real do industrial alemão Oskar Schindler que conseguiu livrar centenas de judeus do extermínio nazista. Durante a Segunda Guerra Mundial ele os abrigava em sua fábrica até ser possível transferi-los em segurança para a então Tchecoslováquia, de forma que ter o nome na lista de Oskar Schindler representava uma chance de sobrevivência. Os judeus também acabaram sendo uma alternativa à falta de mão de obra ocasionada pela guerra. Para escrever o livro, lançado em 2007, o escritor Thomas Keneally dedicou dois anos a entrevistas com judeus salvos pelo alemão espalhados por países como Brasil, Argentina, Estados Unidos, Áustria, Austrália, Israel e Alemanha Ocidental. A ideia de escrever o livro ocorreu ao autor quando — ao entrar em uma loja de malas durante um passeio nos Estados Unidos — conheceu um dos judeus salvos. A publicação garantiu ao autor o “Booker Prize” em 1982, sendo que mais de dez anos depois o livro foi adaptado para o cinema por Steven Spielberg, recebendo sete Oscars. Editora Best Seller, 532 páginas, R$ 42.

Quem Escreverá nossa História? — Os arquivos Secretos do Gueto de Varsóvia

quem-escrevera-nossa-historiaQuem Escreverá nossa História? — Os arquivos Secretos do Gueto de Varsóvia, de Samuel D. Kassow, consiste na reunião de informações diversas coletadas há mais de 70 anos por meio de pesquisa encabeçada pelo professor de história Emanuel Ringelblum. O acadêmico criou uma organização secreta em meados de 1940, chamada Oyneg Shabes (Alegria do Sábado), com a pretensão de documentar todos os aspectos possíveis da vida dos judeus confinados no chamado Gueto de Varsóvia durante o nazismo. Foram reunidas informações que abrangiam desde o funcionamento das cozinhas – onde era produzida a sopa dada aos judeus – a esquemas de colaboração da polícia judaica com os nazistas. Constam nos arquivos da pesquisa que deu origem à obra desde singelos papéis de balas, cartões de relacionamentos e canções de rua, a cartazes da resistência armada contra os alemães. Editora Companhia das Letras, 584 páginas, R$ 59.

Deixe um comentário

Você pode usar estas tags HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>