Sobre as Emoções – Insegurança

Podemos sentir insegurança em várias dimensões práticas: física, social, financeira, interpessoal e emocional. Mas há um nível muito mais profundo de insegurança, insegurança existencial. Pessoas inseguras são aquelas cuja insegurança resulta de falta de confiança, manifestando-se em uma constante, persistindo como parte dos traços que compõem sua personalidade.

Algo muito diferente é o sentimento de insegurança que em certas situações podem aparecer, especialmente às novas circunstâncias em que uma pessoa não sabe bem o que fazer, como se comportar. Nesses casos não se trata de pessoa insegura, mas é uma condição insegura. Personalidades inseguras são mais frequentes entre as crianças que viveram em relativo isolamento e aquelas que foram superprotegidas pelos pais.

As crianças que são, neste caso, levam mais tempo para aprender a tomar decisões por si mesmas. A característica mais evidente de uma personalidade insegura é a incapacidade de tomar decisões, por uma redução do conceito de suas próprias capacidades. Esses indivíduos estão constantemente sujeitos a hesitar antes de uma determinação. Esta inquietação causa sofrimento diante de uma decisão importante, pois a sensação de fracasso é muitas vezes associada ao caráter. 

O inseguro é levado a rejeitar todas as tarefas com responsabilidade e componentes de risco, exatamente pela dificuldade de assumir as consequências. Isso também explica por que certas pessoas buscam o apoio de outras com quem possuem vínculo de dependência excessiva. Com o conselho de outros, julgam que é um pouco mais fácil decidir ou desenhar objetivos, mas muitas vezes a situação é complicada porque diferentes conselhos resultam deste inquérito, dificultando ainda mais a escolha. 

Essas pessoas gostam de ‘receber ordens’, deste modo são liberadas da dificuldade que envolve tomar uma decisão e não se sentem tão profundamente culpadas se ocorrer uma falha. Do ponto de vista psicodinâmico, pode-se dizer que o inseguro muitas vezes usa mecanismos psicológicos de defesa, como repressão, inibição e compensação. Quando utilizam o último mecanismo psicológico que é característica de pessoas excessivamente seguras, aspectos autossuficiente e arrogante tentam encobrir a insegurança em si mesmos. 

Todos estes mecanismos psicológicos são muito neuróticos, e, de fato, a insegurança em si é uma das principais fontes do qual deriva a ansiedade neurótica. Insegurança é também um dos pilares básicos da timidez. Neste caso, a insegurança é reforçada por meio de relações interpessoais, especialmente nas relações sociais que exigem a presença simultânea de um grupo de pessoas.

A insegurança acompanhada pela timidez está associada à diminuição da autoestima que pode ser causada por um sentimento de inferioridade. Sentimentos de insegurança decorrem de uma falta de controle e confiança. Quando há controle de uma situação, não é tão provável ficar em cima do muro. Estar diante de circunstâncias difíceis, e poder utilizar o poder de lidar com elas torna tudo mais fácil de encarar.

Porém, contar com a cooperação dos outros de uma maneira que o outro não pode cumprir eficazmente, pode tornar-se muito frustrante. Dúvidas, incertezas sobre escolhas, incapacidade para tomar decisões, questionamento constante sobre tomada de decisões simples, roupa que deve vestir, restaurante que deve ir, caminho que deve percorrer, entre outras indecisões podem comprometer a rotina da pessoa, seu desempenho profissional e suas relações. 

A tomada de consciência sobre os prejuízos que a insegurança causa e a possibilidade de fazer algo para dar respostas novas podem repercutir positivamente na rotina da pessoa. Estar em forma e saudável é muito importante para se sentir bem consigo mesmo e a vontade com os outros. Para adquirir um pouco mais de segurança pode ser de grande ajuda cuidar do corpo, aprendendo a apreciá-lo e promovê-lo. 

Gerenciar a vida contribui para afastar a apatia que muitas vezes acaba por enrijecer os hábitos. Momentos de relaxamento durante o dia pode libertar a mente de pensamentos negativos; a fadiga física e mental podem ser a causa do pessimismo. Yoga, meditação e exercícios respiratórios são benéficos. Ir ao cabeleireiro e academia pode ser útil para promover a auto imagem; a insegurança está muitas vezes ligada ao sentimento de não ser admirado. 

Falar sobre a insegurança com uma pessoa de confiança, um amigo ou familiar, é uma forma de tomar consciência do problema e tentar redimensioná-lo. Um presente de tempos em tempos pode ser um incentivo ao bom humor: o vestido desejado, o ingresso para um show esperado, uma viagem, podem somar bons resultados. Participar de Curso de Coaching voltado para o tema/ Life Coach é enriquecedor. 

Para lidar com a incerteza mais grave, capaz de efetivamente limitar a maior parte da vida, é muito útil consultar um psicoterapeuta, capaz de dirigir a mente para a conscientização e resolução do problema. Falar sobre o desconforto com alguém que ouve sem julgar realmente ajuda a racionalizar o problema e encontrar as ferramentas adequadas para lidar com ele.

Auriane Rissi

2 Comentários
  • Clarice

    Sempre acabo achando muito bom todoas essa maravilhosas dicas… parabéns! Abço

    • Auriane Rissi

      Essa é a ideia! Obrigada BjBj

Deixe um comentário

Você pode usar estas tags HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>