A felicidade depende da forma que escolhemos sofrer

A concepção de que devemos ‘ser feliz’ a qualquer custo, colocou a tal felicidade como objetivo final, e nessa, acatamos a ideia de que a vida deve ser perfeita; nada de frustrações, contrariedades, caso contrário perde-se a razão primordial.

Na maioria das vezes a felicidade passa despercebida, por não sabermos distinguir que ela se manifesta a curto prazo – emoção intensa, sentimentos de euforia, e de longo prazo – sentimentos menos intensos, mais estáveis, de calma e contentamento.

Receber um elogio de alguém relevante causará uma boa sensação por algumas horas, mas é provável que vá se dissipar brevemente. Por outro lado, saber que temos relações significativas e duradouras causará impacto menor, mas muito mais consistente. 

Ocorrem tantas coisas que influenciam na nossa felicidade, e não estão sob nosso controle, é impossível ser feliz o tempo todo, se alguém disse o contrário, mentiu. Coisas ruins irão acontecer ao longo da vida – tragédias, decepções podem bater à nossa porta.

Haverá dias que as coisas não sairão como planejamos, seja nos negócios, viagens ou nas relações. Ao passar por esta vida teremos que experimentar nosso quinhão de emoções negativas, e ninguém poderá fazê-lo por nós.

É fato, que a felicidade não é perene, nem exclui o sofrimento, porque ele é inerente à existência. Não desfrutaremos diuturnamente de boas sensações e completude. A felicidade depende da forma que escolhemos sofrer.

Paradoxal, mas foi isso que o próprio Jesus ressaltou em seus exemplos. Passar os dias evitando o sofrimento não resultará em ganhos e uma vida mais feliz, o enfrentamento, esse sim conduzirá a um sentido de estar no mundo. 

Há varias formas de fazer a mesma coisa, e nesse caso temos escolha, por si só já é um ganho extraordinário, que será o diferencial nessa busca. A felicidade não é um objetivo, é sinal que estamos sentindo a vida plenamente.

Auriane Rissi
Foto by Antonio Vinicio Pedrosa

4 Comentários
  • Vilma Ana dos Santos

    Lindo. Mas não consegui essa plenitude.

    • Auriane Rissi

      Não é uma questão de plenitude, é conviver bem com a incompletude, inerente à condição humana de ser.
      Boa Sorte! BjBj

  • Ingrid

    Esse texto falou muito comigo. Só o título disse tudo. Muitas vezes fazemos da felicidade um possível sofrimento também, e TUDO depende da forma como vivemos e reagimos a cada situação da vida. Um abraço

    • Auriane Rissi

      Que bacana saber, Ingrid. Os enfrentamentos diante das adversidades, determinam nosso estar no mundo. Boa Sorte! BjBj

Deixe um comentário

Você pode usar estas tags HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>