O amor e sua fantástica loteria dos encontros

O amor, ahh… o amor é uma loteria que ninguém ganha sozinho! No amor ganha todo mundo! Amor de verdade, generoso, amor que é querer o bem do outro, de si mesmo e de todos os seus. O amor é a saúde da vida! Ilumina os instantes de angústia, alivia nossas dores e aquieta a impaciência que, lá no começo de tudo, nos arrancou do paraíso. O amor, assim, recebido e ofertado, amor compartilhado, dá até sorte. Fortuna! Ah, Meu Deus!

Era uma vez o amor em sua primeira vez

Então é isso. Já vão longe a espera, o frio na barriga, a data agendada. Nós conseguimos! Entre sete bilhões de pessoas no mundo, você e eu nos encontramos. Sabe-se lá por obra do quê, de quem, mas nos achamos. Mas e depois disso? Vem o quê? O que acontece agora que não há mais segredo, que passou o encontro breve depois da espera longa?

Não teorize sobre o amor, ame

Não teorize sobre o amor (deixe isso para nós, pobres escritores que vemos a vida como criança de nariz encostado na vitrine, cheia de brinquedos dos nossos sonhos): não teorize sobre o amor, ame. Siga o destino dos sentimentos aqui e agora. Não tenha medo exatamente de tudo o que você teme, como: a sinceridade; não dar certo; depois vir a sofrer (sofrerá de qualquer jeito); abrir o coração; contar a verdade do tamanho do amor que sente.